segunda-feira, 6 de agosto de 2012

O SONHO DA SACOLEIRA


Passo tempo sorrindo
Por dentro
E indo
Rindo e sendo
Menino
Rodar peão
Moinho de vento
Passarinhar
Violão
Menina
Inventa e venta
Saia de filó
Pular amarelinha
Visitar a vovó
Pensar devagarinho
Escrever estrelas
Canto de rouxinol
Aquarelar traços
Contar beijos
Roubar abraços
Enfiar tudo isso numa sacola
Dar um nó
E pular fora
Sem deixar rastro.

Um comentário: